Posts com a tag Via Wines

Viagem ao Chile com o Pão de Açúcar. Balanço final.

 

Acabo de publicar o último post relacionado à viagem que fiz ao Chile a convite do Pão de Açúcar em companhia do Carlos Cabral e Sra., do Fabio Greghy, responsável pelos vinhos do Club des Sommeliers entre outras coisas,  a querida Juliana Machado da Assessoria de Imprensa do GPA, do casal do blog AmoVinho, Deisi e Gui Cury, e do Christian Burgos da Revista Adega. A foto abaixo que ilustrou meu primeiro post, que foi tirada na nossa chegada, bem mostra a alegria do grupo.

 

Há um balanço a fazer, pois afinal, sempre voltamos melhores depois de qualquer viagem. Meu balanço é o seguinte:

  • O Carlos Cabral é um patrimônio do Mundo do Vinho. O Pão de Açúcar ao ter o Cabral como Consultor de Vinhos, deu um tiro mais que certeiro, pois não é nada comum ter uma pessoa com o prestígio internacional do Cabral, que independe da empresa onde esteja. Cabral é recebido como um amigo, como alguém da família. Isso é resultado de uma vida dedicada ao vinho, ao conhecimento e a uma postura ilibada. Raro mesmo. E o que digo todos pudemos atestar nas quatro bodegas que visitamos.
  • O Pão de Açúcar tem uma importância enorme no mercado do Vinho, pois tem quase 20 milhões de garrafas vendidas anualmente, o que passa dos 12% de todo o mercado Nacional. Isso mostra que o trabalho dos atendentes e a oferta de vinhos está mais que adequada ao mercado.
  • Me surpreendi com a informação de que o Pão de Açúcar sòzinho representa tres vezes o volume de vinho comprado internamente no Chile!Incrível. O Pão de Açúcar hoje vende só de Chile 4 milhões de garrafas/ano!
  • A qualidade e consistência dos quatro produtores que visitamos certamente garante a provisão adequada de rótulos em suas gamas de qualidade com bons preços e adequados ao atual perfil do consumidor brasileiro e trazendo gamas superiores também. Perfeito.
  • Ficou clara a seriedade, a preocupação e e atenção que o Pão de Açúcar dá ao seu ítem Vinho. É importante que chegue ao consumidor este trabalho para que ele se sinta alguém especial e não um simples consumidor do que tem na prateleira. Como disse o Cabral no vídeo abaixo, atrás de um rótulo há muita história a contar.
  • A organização da viagem foi perfeita e tudo funcionou bem em todos os lugares. Parabéns.
  • A escolha de pessoas do grupo foi ótima e certamente quem destoou foi o Didú… rindo demais a todo instante como se fosse um personagem dos Muppets…

Abaixo um vídeo que fiz com o Cabral no Aeroporto antes de nossa volta, aliás meus agradecimentos ao up-grade de lugares na aeronave na volta. Valeu muito para mim. Grazie Amigos. Foi realmente um privilégio para mim. Sucesso. Saúde!

 

Via Wines

 

Você pode achar que se trata de um quadro, mas não é, é uma foto feita pelo Gui Cury do Eu Amo Vinho. Um espetáculo que registrou as centenas de ovelhas da Via Wines, que pastam por entre os vinhedos.

O lugar é belíssimo e sua sala de degustação surpreende a qualquer visitante, eu gravei para vocês. No mesmo vídeo Cabral fala da importância do Grupo Pão de Açúcar no mercado do vinho no Brasil. Veja:

 

O enólogo Carlos Gatica da Via Wines, comentou que  o Chile tem 150 mil hectares de vinhas! Concha y Toro tem 13 mil hectares e eles têm 1 mil hectares. E disse que o Pão de Açúcar vende tres vezes mais vinho que o mercado interno do Chile!

 

A linha de vinhos Via Wines de nome Chilensis, além de ter ótimo preço, girando dos R$ 25,00 a R$ 39,00 é bastante didática, são varietais bem feitos e com muita tipicidade. Provamos os: Sauvignon Blanc, o Chardonnay, o Merlot, o Malbec (gosto dos malbec chilenos), o Carmenère e o Cabernet Sauvignon.

A linha superior a Lazuli mais cara R$ 90,00 é de ótima qualidade, um vinho delicioso, com várias opções de assemblage. Uma delícia de vinho.

Tivemos um almoço que foi um dos pontos altos da viagem que o Pão de Açúcar nos proporcionou. A Via Wines contratou o chef belga Mathieu Michel, casado com uma brasileira, que simplesmente deu um show em suas criações e harmoniazções. Eu gravei para vocês, vejam:

 

Muitas pessoas não se dão conta do que somos e do potencial que temos, falo de Brasil e de Vinho. Imaginem que o Pão de Açúcar representa sozinho, tres vezes o consumo interno de vinhos no Chile!  E o Pão de Açúcar vende cerca de 19 milhões de garrafas/ano, o que representa cerca de 12% do mercado brasileiro. Imaginem o que o Brasil pode ser em consumo de vinho?… Quando os brasileiros passarem a beber 1 taça por refeição, seremos dos maiores mercados do Mundo.

Pão de Açúcar me levou ao Chile

Acabo de chegar de gostosa viagem ao Chile, a convite do Grupo Pão de Açúcar. Na selfie tirada pelo Fabio Greghy, responsável pelos vinhos do Club des Sommeliers entre outras coisas. Nela você vê nosso divertido grupo, a Leda esposa do Cabral, Cabral, a seu lado a querida Juliana Machado da Assessoria de Imprensa do GPA, atrás dela o casal do blog AmoVinho, Deisi e Gui Cury, Christian Burgos da Revista Adega e eu.

Para quem não sabe, o Pão de Açúcar é hoje o maior vendedor de Vinhos do Brasil, beirando os 20 milhões de garrafas anuais. Um fenómeno que cresce ano a ano graças ao empenho de Carlos Cabral, em formar os atendentes de Vinho e a buscar sempre qualidade e garantia de fornecimento, em várias faixas de preço.

Só do Chile, o Pão de Açúcar vende anualmente 4 milhões de garrafas! Seus quatro fornecedores são Viña Santa Rita, Luis Felipe Edwards, Via Wines e Carta Vieja. E foi para esses destinos que fomos convidados a conhecer.

Não bastasse a importância de Consultor que recomenda a compra de rótulos do Pão de Açúcar, que o Cabral representa, sua assessoria ao Pão de Açúcar dá de presente ao Grupo a excepcional respeitabilidade que Cabral desfruta. Não é de graça isso, pois o Cabral está para comemorar 50 anos de Vinho do Porto, tempo que se dedica a esta categoria de Vinhos onde é certamente uma das cinco maiores autoridades mundiais no assunto. E Cabral não fica só nisso não, conhece como poucos vinho do Mundo inteiro. Com sua cultura, senso de humor e simpatia, ele garantiu a alegria da viagem. Seu prestígio nas bodegas nos levou a sermos recebidos como nobres. Foi um show de encantamento. Parabéns Pão de Açúcar.

A viagem foi muito gratificante, pois conseguiu surpreender a todos. cada um dos fornecedores tiveram algo a surpreender e eu tenho bastante a postar, pois trouxe nada menos que 40 vídeos que serão agora editados para os próximos posts. Saúde!

 

 

Chile – 2º Dia

Depois de uma noite maravilhosa e confortável em Casa Donoso, no Maule, partimos com Susana para Colchagua em direção ao Noroeste chileno, mais especificamente no Valle de Apalta para conhecer conhecer Montes . Apalta é um lugar privilegiado e as terras lá são das mais valorizadas no Chile.

 

Viña Montes é linda. Logo que chegamos e andávamos nesse caminho em direção à recepção, vimos chegar uma caminhonete grande com um cachorro labrador que corria para alcança-la. Era o simpático Rodrigo Barria, Gerente Agrícola de Montes acompanhado pelo fiel Rombo. Logo saímos para visitar o campo. Veja:

 

 

Uma vinha de Cabernet Sauvignon de mais de 80 anos! Não existíamos quando ela foi plantada… Há quem não se emocione com isso.

 

Uma calicata parada com direito a aula de Terroir…

Na volta tínhamos uma recorrida à bodega, visitaçnao à fantástica sala de barricas onde os vinhos ficam afinando ao som de cantos gregorianos, uma degustação e um almoço.

 

 

O Jorge Gutierrez, jovem enólogo da Viña Montes nos explicou tudo e dirigiu a degustação que me impressionou agradavelmente principalmente pela arrojada e orgânica linha Outer Limits.

 

 

Não desfazendo de Taita, o top da Viña Montes, com 80% de Cabernet Sauvignon de 4 hectares de Marchigue (de leveduras indígenas) e mais 20% de outras castas tintas, as melhores do ano, que inclusive mereceu evento exclusivo de Ciro Lilla e Aurelio Montes em seu lançamento quando foi comemorado os 25 anos de Montes Alpha, minhas agradáveis surpresas ficaram por conta da linha Outer Limits.

 

O Sauvignon Blanc com 4 meses sur lies é de babar. Um espetáculo de vinho que dá vontade de sentar na varanda aos fundos da bodega que dá para o Vale e ficar bebendo a tarde toda…

 

O mesmo posso dizer do Pinot Noir de Zapallar, produzidos a partir de 4 clones distintos, tres deles fermentados com as próprias leveduras, uma parte de uns 5% com enagços e que tem personalidade chilena mas estirpe borgonhesa. Um epsetáculo de vinho.

 

Também o extraordinário Carignan, Garnacha e Mouvèdre (condução de vinhas diferenciada), de leveduras indígenas e que eu beberia um garrafão.

 

E ainda o inimaginável Cinsault de Itata, o Old Roots, fermentado com as próprias leveduras, com engaços e maceração carbônica! Outro vinho de babar.

 

Após o delicioso almoço com essa vista e repleto de turistas, iclusive brasileiros leitores do didu.com.br, partimos para Via Wines.

A Via Wines era do Jorge Coderch Mitjans que criou o Oveja Negra e hoje é dono da Valdivieso e produz o inusitado Caballo Loco, você pode ve-lo no vídeo abaixo quando a Ravin fez o lançamento de Caballo Loco e ele veio fazer uma apresentação.

 

 

Quando Jorge vendeu a enorme Via Wines (foi associada da Miolo, lembram-se?), hoje uma SA que tem brasileiros entre seus acionistas, ele manteve sua casa, espetacular que foi onde ficamos hospedados. Foto à baixo da sala de estar com lareira que dava para os quartos…

Bem, chegamos lá e fomos diretamente para  visitar o campo com Claudio Morales, para conhecer parte dos cerca de 1.040 hectares de vinhedos de Via Wines, plantados nos principais vales vitivinícolas: Maule, Curicó, Colchagua, y Casablanca

veja:

 

 

No campo, a todo instante se pode ver o “descabezado” ao fundo, veja que majestosa vista:

Mas as surpresas não param por aí não, na volta do campo, chegamos então à esta maravilhosa sala de degustações…

 

 

Que tal? Melhor que trabalhar com parafusos não gente?… hahahahaaaa.

 

 

Confesso que por conhecer os vinhos Chilenses da Via Wines, que você encontra no Pão de Açúcar, minhas expectativas não eram das maiores com minhas preferências naturais…, mas lá tem um enólogo que também tem certo carinho por esses experimentos, falo de Camilo Viani.

 

 

Minha primeira surpresa foi com a linha Chilensis, o Malbec deles, que está delicioso, custa abaixo dos 50 Paus no PDA e tem muito frescor, uma bela experiência que recomendo.

 

 

Mas o melhor viria a seguir, dois vinhos de leveduras indígenas, um Cinsault e um deles de Pais!! Que você encontra na Galeria do Vinho a R$ 74,00. super show de frescor e tipicidade, beberia um garrafão.

 

 

 

E em dois decanters, duas preciosidades, esperavam por nós. O Red One (que ganhei uma garrafa…) e o Las Almas.

 

 

 

O primeiro com um assemblage de:  Cabernet Sauvignon (35%), Cabernet Franc (29%), Mourvèdre (15%), Malbec (4%) e Petit Verdot (4%). Fino e sem excesso de barrica. Camilo sabe o que faz.

O segundo é 93 % de Carmenère com 4% de Cabernet Franc, 2% de Malbec e 1% de Petit Verdot. Deliciosos os dois, que acompanharam o nosso jantar e foram repetidos longamente em conversa agradável…

Lá fora um frio danado e uma lua que espreitava invejosa nossa maneira de viver, veja esta foto que o Regis fez…

 

 

Assim foi nosso 2º dia de Chile a convite da BrandAbout… ao final uma curiosidade sobre consumo de mídia. Pedimos que um dos garçons tirasse uma foto da nossa mesa. Veja esta foto:

 

Quando vi as luzes refletidas no vidro escuro que nada mostrava lá de fora. Comenteil que poderia ser uma foto tirada em um restaurante de edifício, como o Windows on the World das torres gêmeas de NY…

Então resolvi postar a foto no Instagram e escrever: Nosso jantar em NY com os amigos da Via Wines.

Bem, tive diversos likes e ninguém, absolutamente ninguém fez qualquer comentário a respeito. Vejam, quem me segue sabe que estava no Chile, acompanhava meus passos. Como poderia postar uma foto de NY ?

Acho que o consumo de mídia está cada vez mais superficial e as pessoas muito imediatistas, apenas clicando compulsivamente as fotos.