Posts com a tag Chile

O Le Petit Clos chegou!

Não sei se vocês se lembram, mas eu postei aqui sobre esse vinho. Veja AQUI.  A noite que o evento foi surpreendido pela falta do vinho Le Petit Clos, que ficou preso no aeroporte de Santiago em função da neve!… Vale rever o post,  pois havia lá várias novidades da Lapostolle, lá.



Agora chego em casa e encontro uma garrafa do tal Le Petit Clos!! Agradeço ao Charles-Henri de Bournet Marnier Lapostolle, ao Ciro Lilla e Otavio Lilla e à nevasca daquele dia, afinal, acabei ganhando uma garrafa do Le Petit Clos inteirinha só para mim… Imagine se escrevesse de parafusos… teria recebido uma coleção deles e suas porcas…

A idéia desse vinho não é ser um segundo vinho do famoso Clos Apalta, mas um vinho excepcional que já pode dar muito prazer jovem. E ele já vem arrancando suspiros e elogios pelo mundo. Ele é elaborado com as castas Cabernet Sauvignon (40%), Carmenère (30%), Merlot (28%) e Petit Verdot (2%). Um corte bordalês das antigas. Estou com muita vontade de abrir a garrafa.

As uvas vêm do vinhedo biodinâmico em Apalta, vinificação por gravidade, ;leveduras indígenas em cubas de carvalho francês e sob a supervisão da querida e competente Andrea Leon. Depois o Le Petit Clos estagia por 18 meses em barricas noivas de carvalho francês (33%), em barricas de carvalho frances de 2º uso (33%) e em cubas de carvalho francês de 7.500 litros (34%).   Abaixo você pode ver um vídeo que fiz com a Andrea em 2016 durante o Encontro Mistral.

 

Viagem ao Chile com o Pão de Açúcar. Balanço final.

 

Acabo de publicar o último post relacionado à viagem que fiz ao Chile a convite do Pão de Açúcar em companhia do Carlos Cabral e Sra., do Fabio Greghy, responsável pelos vinhos do Club des Sommeliers entre outras coisas,  a querida Juliana Machado da Assessoria de Imprensa do GPA, do casal do blog AmoVinho, Deisi e Gui Cury, e do Christian Burgos da Revista Adega. A foto abaixo que ilustrou meu primeiro post, que foi tirada na nossa chegada, bem mostra a alegria do grupo.

 

Há um balanço a fazer, pois afinal, sempre voltamos melhores depois de qualquer viagem. Meu balanço é o seguinte:

  • O Carlos Cabral é um patrimônio do Mundo do Vinho. O Pão de Açúcar ao ter o Cabral como Consultor de Vinhos, deu um tiro mais que certeiro, pois não é nada comum ter uma pessoa com o prestígio internacional do Cabral, que independe da empresa onde esteja. Cabral é recebido como um amigo, como alguém da família. Isso é resultado de uma vida dedicada ao vinho, ao conhecimento e a uma postura ilibada. Raro mesmo. E o que digo todos pudemos atestar nas quatro bodegas que visitamos.
  • O Pão de Açúcar tem uma importância enorme no mercado do Vinho, pois tem quase 20 milhões de garrafas vendidas anualmente, o que passa dos 12% de todo o mercado Nacional. Isso mostra que o trabalho dos atendentes e a oferta de vinhos está mais que adequada ao mercado.
  • Me surpreendi com a informação de que o Pão de Açúcar sòzinho representa tres vezes o volume de vinho comprado internamente no Chile!Incrível. O Pão de Açúcar hoje vende só de Chile 4 milhões de garrafas/ano!
  • A qualidade e consistência dos quatro produtores que visitamos certamente garante a provisão adequada de rótulos em suas gamas de qualidade com bons preços e adequados ao atual perfil do consumidor brasileiro e trazendo gamas superiores também. Perfeito.
  • Ficou clara a seriedade, a preocupação e e atenção que o Pão de Açúcar dá ao seu ítem Vinho. É importante que chegue ao consumidor este trabalho para que ele se sinta alguém especial e não um simples consumidor do que tem na prateleira. Como disse o Cabral no vídeo abaixo, atrás de um rótulo há muita história a contar.
  • A organização da viagem foi perfeita e tudo funcionou bem em todos os lugares. Parabéns.
  • A escolha de pessoas do grupo foi ótima e certamente quem destoou foi o Didú… rindo demais a todo instante como se fosse um personagem dos Muppets…

Abaixo um vídeo que fiz com o Cabral no Aeroporto antes de nossa volta, aliás meus agradecimentos ao up-grade de lugares na aeronave na volta. Valeu muito para mim. Grazie Amigos. Foi realmente um privilégio para mim. Sucesso. Saúde!

 

Carta Vieja

 

A Família Pedregal conseguiu chegar ao seu oitavo herdeiro no mesmo negócio. A casa do avó de Jose Manuel Del Pedregal ainda está lá e com quartos para os quatro filhos e suas famílias e se reunem nos finais de semana. Para uma pessoa como eu isso é coisa de vencedor. Minha admiração. Sensacional e lindo isso. Eu gravei o Jose Manuel falando da bodega. Veja:

 

 

A Carta Vieja era nossa última parada nessa viagem deliciosa ao Chile. Logo que chegamos, fomos recebidos pela enóloga da bodega, a Rosario Dominguez Gil que  tem feicão de menina, mas coordena a produção de nada menos que 13 milhões de garrafas/ano em Carta Vieja!

 

Fomos então para a degustação dos rótulos, que não eram poucos, toda a linha Aves del Sur! Inclusive novidades como o maravilhoso Viognier. Elegante, denso com frescor, tipicidade, vinho delicioso. Foi meu predileto ao lado do Cabernet Sauvignon Gran Reserva.

 

 

Essa linha de vinhos é simplesmente sensacional, uma grande sacada, pois há muito desconhecimento de vinhos hoje pelos consumidores e esses rótulos são lindos. A pessoa quer comprar e quer gostar, é meio caminho andado apenas pela beleza do rótulo. Cabral disse que há colecionadores!… Sensacional. Por tanto basta o vinho não errar para conquistar o consumidor definitivamente e a Carta Vieja sabe disso, por tanto tem um vinho corretíssimo  dentro dessas garrafas, É compra certa nas gôndolas do Pão de Açúcar. Têm tipicidade, são didáticos, diretos, bem o que se espera de cada casta. A degustação foi na casa da Família Pedregal, onde depois desfrutamos de delicioso jantar.

 

 

O Pão de Açúcar tem um volume enorme de vinhos a comprar, seus parceiros precisam ter qualidade, volume e regularidade. Não é fácil isso e Carta Vieja tem…

Nosso programa contemplava dormir nessa casa maravilhosa da família Pedregal, porém uma greve de taxistas contra o Uber e outra de caminhoneiros anunciada para a manhã do dia seguinte, alterou nossos planos e decidimos que voltaríamos naquela noite mesmo a Santiago e dormiríamos no hotel em frente ao aeroporto.

Foram quatro horas de van onde o grupo teve que aguentar as risadas minhas e do Cabral, contando histórias divertidas e piadas uma atrás da outra… me diverti como nunca. Agradeço ao Cabral e me desculpo com os companheiros de viagem que não puderam dormir…

Via Wines

 

Você pode achar que se trata de um quadro, mas não é, é uma foto feita pelo Gui Cury do Eu Amo Vinho. Um espetáculo que registrou as centenas de ovelhas da Via Wines, que pastam por entre os vinhedos.

O lugar é belíssimo e sua sala de degustação surpreende a qualquer visitante, eu gravei para vocês. No mesmo vídeo Cabral fala da importância do Grupo Pão de Açúcar no mercado do vinho no Brasil. Veja:

 

O enólogo Carlos Gatica da Via Wines, comentou que  o Chile tem 150 mil hectares de vinhas! Concha y Toro tem 13 mil hectares e eles têm 1 mil hectares. E disse que o Pão de Açúcar vende tres vezes mais vinho que o mercado interno do Chile!

 

A linha de vinhos Via Wines de nome Chilensis, além de ter ótimo preço, girando dos R$ 25,00 a R$ 39,00 é bastante didática, são varietais bem feitos e com muita tipicidade. Provamos os: Sauvignon Blanc, o Chardonnay, o Merlot, o Malbec (gosto dos malbec chilenos), o Carmenère e o Cabernet Sauvignon.

A linha superior a Lazuli mais cara R$ 90,00 é de ótima qualidade, um vinho delicioso, com várias opções de assemblage. Uma delícia de vinho.

Tivemos um almoço que foi um dos pontos altos da viagem que o Pão de Açúcar nos proporcionou. A Via Wines contratou o chef belga Mathieu Michel, casado com uma brasileira, que simplesmente deu um show em suas criações e harmoniazções. Eu gravei para vocês, vejam:

 

Muitas pessoas não se dão conta do que somos e do potencial que temos, falo de Brasil e de Vinho. Imaginem que o Pão de Açúcar representa sozinho, tres vezes o consumo interno de vinhos no Chile!  E o Pão de Açúcar vende cerca de 19 milhões de garrafas/ano, o que representa cerca de 12% do mercado brasileiro. Imaginem o que o Brasil pode ser em consumo de vinho?… Quando os brasileiros passarem a beber 1 taça por refeição, seremos dos maiores mercados do Mundo.

Luis Felipe Edwards

Nicolås Pizzarri e Carlos Cabral

Eu já conhecia a extraordinária Bodega Luis Felipe Edwards, eles produzem 19 milhões de litros de vinho por ano! Têm como princípio vender apenas para grandes redes de supermercados, pois querem que seus vinhos tenham uma percepção de qualidade superior e vendendo direto a uma grande rede de lojas consegue eliminar um intermediário.

Eles continuam fazendo isso e com grande sucesso. Têm muito foco e são parceiros de seus clientes. Agora voltei à Luis Felipe Edwards a convite do Pão de Açúcar, e fui a convite do Cabral. Chegar na Luis Felipe Edwards com ele é como estar indo visitar um parente que lhe quer bem e está saudoso.

Eu gravei um flagrante da gravação do Fabio Greghy, com o Cabral falando para os clientes do Club des Sommeliers sobre os vinhos de Luis Felipe Edwards.

Fotografei o querido casal Leda e Cabral a 900 metros de altitude. e fotografei a mim também…

 

Estavamos lá em cima, de onde se avista boa parte da propriedade de Luis Felipe Edwards, aliás, fomos no carro do Nicolás Pizzarri, a quem gravei lá mesmo dois anos atrás, vale rever…

 

Partimos de lá para a sala de degustação que Luis Felipe Edwards tem logo abaixo de onde eståvamos, um espetáculo e um desfile de seus vinhos para degustarmos…

Adorei revisitar dois de meus prediletos rótulos:

Este delicioso Roussanne Marsanne 360º e o Pinot Noir Marea, espetaculares.

O delicioso e austero Carignan de vinhas velhas

O Cabernet Franc 360º

O que dizer então deste Sauvignon Blanc do Valle de Leyda?


Esta surpresa veio com um furo de informação, trata-se do vinho que será lançado em novembro pelo Club des Sommelier e que servirá de comemoração dos 20 anos do Cabral no Pão de Açúcar. Não resisti e gravei um vídeo para vocês…

A degustação corria linda enquanto se preparava ao lado um delicioso churrasco para nos deliciarmos com a vista, a comida e os vinhos que quiséssemos… Espetáculo! Aproveitei e gravei lá o Vinho de hoje daquele dia:

 

Fomos então visitar o novo empreendimento da Luis Felipe Edwards, que bem mostra o foco, a dedicação e o ritmo incrível dessa bodega que segue firme e convicta de seu projeto. Veja:

 

A noite ainda nos reservava um elegante jantar na casa de Luis Felipe Edwards onde ele recebeu das mãos de Cabral duas medalhas de ouro conquistadas

 

 

Mas ainda teríamos um jantar delicioso regado aos bons vinhos de Luis Felipe Edwards nesta sala elegante da família Luis Felipe Edwards.

Para minha grande alegria, o Nicolas Pizzarri, que é genro do Luis Felipe Edwards, nos surpreendeu com a atitude mais nobre que pode haver no mundo do Vinho, surpreender os convidados com a generosidade de abrir uma garrafa com idade.

Pudemos saborear um Cabernet Sauvignon da safra de 1994, a primeira safra da Luis Felipe Edwards! E estava soberbo, elegante, fresco com álcool baixo, boa acidez ainda, um vinho muito fino, era um Bordeaux. Mais um para provar a capacidade de envelhecimento dos vinhos do Novo Mundo. 23 anos de idade. Espetacular. Que dia. Grazie Pão de Açúcar, Cabral e amigos da Luis Felipe Edwards.

 

Viña Santa Rita

Uma coisa é visitar a Viña Santa Rita, outra é visitar a Viña Santa Rita com o Cabral… você é recebido como alguém da família, e ainda fica hospedado na Casa Real, hoje um Relais&Château.

 

Tivemos a sorte de chegar no dia do vinho e havia uma festa no páteo da bodega. Consegui pegar parte da gravação que o Fabio Graghy estava fazendo…

 

Fomos recebidos com um farto almoço regado a tres vinhos deliciosos e depois seguimos para caminhar um pouco e conhecer alguns aspectos importantes da Viña Santa Rita.

 

Seguimos para o campo com Eduardo Alemparte B. responsável pelos vinhedos da Santa Rita. Gravei com ele no ponto onde se encontrou a casta Carmenère! Um lugar histórico da Viña Carmen, que pertence a Santa Rita e que chega ao Brasil pela Mistral, que inclusive semana passada apresentou sua nova enóloga e eu publiquei aqui. Vale rever.

 

Seguimos para a Casa Real onde fomos degustar diversos vinhos que estão em linha no Pão de Açúcar tanto no Club des Sommeliers como nas gôndolas em seus rótulos originais. Eu também gravei algo lá para vocês…

 

E lá mesmo gravei também o Vinho de Hoje, veja:

 

De lá partimos para conhecer nossos quartos, um espetáculo à parte, vida de Barão… Vejam o cartão que me esperava com uma garrafa de Santa Rita.

 

 

Um super luxo os quartos, as toalhas e roupões todos com estampas bordadas da Casa Real… Muita classe mesmo.

 

 

Mais tarde tivemos um jantar, Vocês sabem que essas viagens você se sente como um ganso no Périgord, com um funil na boca e tomando vinho, comendo delícias, sem parar. É tanta gentileza que sua roupa volta bem justa ao final de poucos dias… Vejam a sala de jantar onde nós jantamos… Impressionante a gentileza do Francisco Morande o Diretor Comercial da Santa Rita que fez questão de nos acompanhar no almoço e no jantar, mesmo sendo um domingo, privando-se do aconchego familiar. Muito gentil.

 

 

Uma visita sensacional onde certamente a relação pessoal do Cabral, amigo da casa há anos, claro que ajudou e muito. Fico grato pelo convite e pela oportunidade. Como digo sempre, o mundo dos parafusos certamente não oferece momentos como estes… Saúde!

Pão de Açúcar me levou ao Chile

Acabo de chegar de gostosa viagem ao Chile, a convite do Grupo Pão de Açúcar. Na selfie tirada pelo Fabio Greghy, responsável pelos vinhos do Club des Sommeliers entre outras coisas. Nela você vê nosso divertido grupo, a Leda esposa do Cabral, Cabral, a seu lado a querida Juliana Machado da Assessoria de Imprensa do GPA, atrás dela o casal do blog AmoVinho, Deisi e Gui Cury, Christian Burgos da Revista Adega e eu.

Para quem não sabe, o Pão de Açúcar é hoje o maior vendedor de Vinhos do Brasil, beirando os 20 milhões de garrafas anuais. Um fenómeno que cresce ano a ano graças ao empenho de Carlos Cabral, em formar os atendentes de Vinho e a buscar sempre qualidade e garantia de fornecimento, em várias faixas de preço.

Só do Chile, o Pão de Açúcar vende anualmente 4 milhões de garrafas! Seus quatro fornecedores são Viña Santa Rita, Luis Felipe Edwards, Via Wines e Carta Vieja. E foi para esses destinos que fomos convidados a conhecer.

Não bastasse a importância de Consultor que recomenda a compra de rótulos do Pão de Açúcar, que o Cabral representa, sua assessoria ao Pão de Açúcar dá de presente ao Grupo a excepcional respeitabilidade que Cabral desfruta. Não é de graça isso, pois o Cabral está para comemorar 50 anos de Vinho do Porto, tempo que se dedica a esta categoria de Vinhos onde é certamente uma das cinco maiores autoridades mundiais no assunto. E Cabral não fica só nisso não, conhece como poucos vinho do Mundo inteiro. Com sua cultura, senso de humor e simpatia, ele garantiu a alegria da viagem. Seu prestígio nas bodegas nos levou a sermos recebidos como nobres. Foi um show de encantamento. Parabéns Pão de Açúcar.

A viagem foi muito gratificante, pois conseguiu surpreender a todos. cada um dos fornecedores tiveram algo a surpreender e eu tenho bastante a postar, pois trouxe nada menos que 40 vídeos que serão agora editados para os próximos posts. Saúde!

 

 

Viña Carmen linha DO

Eu estive essa semana no Dalva & Dito a convite da Mistral para conhecer a nova enóloga da Viña Santa Rita, a jovem Emily Faulconer, que para minha alegria é tão apaixonada por leveduras indígenas quanto eu. Claro que nos demos super bem.

Ela veio apresentar especialmente a linha DO de Viña Carmen que propõe inovações com mínima intervenção. A linha contempla vinhedos pequenos de pequenos e especiais produtores que eles arrendam as uvas e produzem vinhos especiais. O Chile é craque, antenado no mercado e suas tendências e fazendo direito. Admiro isso.

Os vinhos que provamos nessa noite foram:

  • Carmen Gran Reserva Sauvignon Blanc 2014 do Valle de Leyda U$ 38,90
  • Carmen DO Quijada 1 Semillon 2016 do Valle de Apalta U$ 68,50
  • Carmen DO Melozal El Bajo Portugais Bleu 2016 U$ 68,50
  • Carmen DO Matorral Chileno Syrah/Cinsault/Viognier 2016  U$ 68,50 de Apalta e Itata
  • Carmen DO La Cancha Malbec 2016 U$ 68,50 do Valle de Colchagua

Eu gostei de todos os vinhos, bastante. São todos de leveduras selvagens, todos diretos e com personalidade, muito gratificantes. O El Bajo Portugais que é a Portuguiser alemã, é bastante rústico e sedutor, adoro vinho assim que pedem frios gordurosos e boa conversa embaixo do pergolado… o DO Matorral é de uma classe e elegância que seduz a qualquer apreciador de vinho fino. O Malbec é desconcertante por seu estilo que em nada lembra Malbec argentino, seco, direto, adstringente, uma boa surpresa. Agora muito acima deles, secondo me, claro, está o DO Quijada Semillon…

 

 

De um vinhedo de 1950, espetacular, teve um toque de 5% de Sauvignon Blanc. Um vinho de classe realmente, untuoso cremoso e floral, muito sedutor com toques de flor de camomila, ótima acidez, ESPETACULAR!!! Gostaria de ter uma caixa dele e ir abrindo um a cada ano. Ao menos 1 garrafa você precisa ter desse vinho e guardar para abrir em em 2025 por aí… e me convidar, claro, para vermos como está. O Otavio Lilla me contou que o Ciro também havia adorado o Sémillon e que tinha uma foto dele com a garrafa assinada, veja:

Eu gravei um vídeo nessa noite, onde Emily fala do vinho que foi o meu predileto, o Semillo. Veja:

 

 

A Viña Carmen é das mais antigas do Chile, data de 1850 e ficou famosa por ter sido em seus vinhedos que foi identificada a existência da Carmenère entre vinhas de Merlot. Seu nome foi dado em homenagem à esposa. Estava procurando algo de Viña Carmen e descubro este vídeo que gravei com o Ciro em 2010, onde ele conta que resolveu trazer o vinho pois sua esposa se chama Carmen…veja:

 

O meu trabalho vai mais e mais se amoldando ao que o público gosta de consumir: Vídeos. E Vídeos on line. Não posso ficar para trás e assim crescem os vídeos produzidos na hora e transmitidos na hora, que depois ficam arquivados na própria plataforma e eu posso indexa-lo aqui para vocês. Assim seguem alguns deles. Saúde.

 

 

Tarapacá com novidades.

Estive em elegante jantar no Fasano, para conhecer o lançamento da vitoriosa Tarapacá do Chile. Trata-se do Blend Series #1. Os vinhedos de El Rosario foram perfurados em Calicatas. Nada menos que 373 Calicatas! Podem imaginar isso? Desse estudo nasceu a identificação de diversos perfis de solo. Das melhores parcelas de El Rosario,  nasceu este vinho de Cabernet Sauvignon e Syrah. Quem explicou tudo para nós foi seu enólogo sebastián Ruiz, preocupado com a sustentabilidade da vinícola.

Fiquei impressionado e feliz com duas notícias nessa noite com Luli Dias da Épice, que importa os vinhos Tarapacá. Ele me contou que somos o maior mercado mundial para o Gran Tarapacá, com 15 mil caixas/ano! e que essa parceria existe desde o início da Épice. Bárbaro. A outra notícia foi o crescimento que a importadora vem experimentando este ano, de mais de 100% !!!  Parabéns a eles.

Na ocasião, além do Tarapacá Gran Reserva Blend Series #1 2014, experimentamos também:

Tarapacá Gran Reserva Sauvignon Blanc 2015

Tarapacá Gran Reserva Carmenère 2015

Tarapacá Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2015

Tarapacá Gran Reserva Etiqueta Negra 2015

Tarapacá Gran Reserva Etiqueta Azul 2013

Os vinhos vão de R$ 90,00/100,00 a R$ 250,00

Eu gravei alguns momentos no facebook ao vivo na ocasião e reproduzo aqui para vocês.

Tarapacá em lançamento em São Paulo com sua importadora Épice que cresceu mais de 100%!

A post shared by didu_russo (@didu_russo) on

 

 

Sebastián Ruiz falando:

Caballo Loco – Coleção

 

A visão do Rogerio D’Avila, da Ravin, com bom faro comercial, levou a Valdivieso a criar uma linha adicional ao raro e famoso Caballo Loco original.

Ele sugeriu ter uma linha abaixo do original. Foi então criado uma quebra de paradigma de não falar da casta no original e passaram a explorar as castas e as regiões numa nova linha de muito sucesso. Veja o próprio Rogério D’Avila falando disso e contando uma novidade para breve, um Caballo Loco branco! Veja: