Acontece

Indo para a Espanha a convite da Via Vini

Salvador Dali – Gala Wines

Tive a grata surpresa de ser convidado pela Via Vini a fazer umas visitas a produtores na Espanha. Nos próximos dias ficarei sem postar por aqui, mas estarei no Face e no Insta, acompanhem-me por lá.

Claro que colherei bons materiais para contar depois, iremos principalmente a Navarra e a Rioja. Aguardem.

Importante você saber que hoje a Espanha é o país de maior extensão de vinhas plantadas em todo Mundo, porém não é a maior produtora de vinhos (está atrás de França e Itália que revezam ano a ano na liderança), por um motivo simples: rendimentos muito baixos.

Os vinhos espanhóis vem ganhando espaço nas importações e embora em 6º lugar depois de Chile, Portugal, Argentina, Itália e França, ela vem crescendo ano a ano, principalmente em vinhos vendidos pela web.

É interessante você saber da classificação dos vinhos espanhóis:

A principal divisão é entre os vinhos de Denominación de Origen Protegida (DOP) e os de Indicación Geográfica Protegida (IGP), mais conhecidos como “Vino de la Tierra” (VdlT). Quaisquer vinhos que não se enquadrem nos critérios DOP ou IGP só podem ser rotulados como “Vino”.

Os vinhos DOP subdividem-se em:

Denominación de Origen (DO): vinhos que devem atender a especificações quanto às variedades de uva permitidas, modo de cultivo e localização dos vinhedos. Assim, apresentam um patamar mínimo de qualidade. Existem mais de 70 DOs e cada uma delas submete-se a seu próprio Conselho Regulador.

Denominación de Origen Calificada (DOCa): categoria mais prestigiosa do que a anterior, apenas DOs que existam há pelo menos 13 anos podem se alistar para se tornarem DOCa. Nos dias de hoje são apenas duas: Rioja e Priorat.

Vinos de Pago (VP): categoria que se aplica a uma propriedade de reputação elevada. Os VP devem usar apenas uvas de vinhedos próprios e vinificadas dentro da propriedade e o envelhecimento das garrafas também deve acontecer no local.

Vinos de Calidad con Indicación Geográfica (VCIG): categoria criada em 2003, é um passo intermediário entre VdlT e DO.

As regulações são menos rígidas do que as previstas para DO e DOCa. Após ostentar o status VCIG por cinco anos, uma região pode alistar-se para tentar obter a certificação DO.

Entre os vinhos IGP, destacam-se comercialmente os VdlT de Castilla e VdlT de Castilla y León.

Até breve. Saúde!

 

Comments

comments