Acontece

Ótimas novidades na Vinci Vinhos

Estive hoje na Vinci Vinhos de Ciro Lilla para conhecer alguns lançamentos e sugestões de vinhos para pratos de Páscoa. Fiquei muito bem impressionado com ótimas novidades e ótimas garrafas já conhecidas, mas de safras novas.

Gosto de eventos assim, descontraídos, sem muita gente, informal, bons vinhos e bons petiscos. Meus destaques estão abaixo.

A gratíssima surpresa do dia certamente ficou por conta de um dos enólogos que mais admiro, o Luiz Henrique Zanini. O Zanini é apaixonado pelo que faz, é um poeta de verdade, um apaixonado pelos vinhos, pela mulher e pela “famiglia”. O vinho só podia ficar bom não é mesmo? Mereceu “O Vinho de Hoje”

Pois ele lançou dois rótulos da linha Talise, nome de sua mulher, que vão arrebentar: Um Sauvignon Blanc de 12º de álcool, fino, sem passagem por barricas, excelente pedida para ostras, mariscos, aperitivos, queijos de cabra frescos, massas alle vongole, por exemplo. Adorei. R$ 53,90.

 

O outro, que me surpreendeu ainda mais, não desfazendo deste, claro, foi o Pinot Noir Talise. Com uvas do Vale dos Vinhedos, fermentação em aço inox com controle de temperatura, não menciona ter engaços, mas aposto que um pouco tem, permanece em barricas de carvalho francês de 500 litros com tosta média por oito meses. Eu me senti sentado em Lyon à numa mesinha de calçada na companhia da Nazira e um “Pichet” de vinho local. simples, bem feito, agradável. Vinho para dar prazer e não para ser avaliado. Para melhorar tudo, R$ 59,90. Que tal?

 

De arrancar suspiros também, dois brancos que viriam entre o Sauvignon Blanc e o Pinot Noir , falo do delicioso e sedutor Lo Abarca Cartagena Gewürztraminer da Casa Marin do valle de San Antonio.

Com 13,5º de álcool e uma fermentação tradicional com controle de temperatura 12/13º durante tres semanas. Que vinho! Lichia e creme nívea ao nariz, boca untuosa, fresca e longa, longa. Uma grande sedução. Vinho para pratos picantes e de sabores exóticos como os Din Sun da cozinha asiática. Custa R$ 133,54

 

O outro eu já andava com saudades, daqueles brancos estruturados, densos, para comidas untuosas e estruturadas, falo do delicioso espanhol de Rioja, 100% Viura, do famoso e tradicional produtor CVNE, o Viña Real. A Viura é fermentada em barricas de carvalho americano por 15 a 20 dias. Espetacular e corpulento, com força mas com frescor. Encara fácil peixes gordos em molhos densos ou mesmo carnes brancas e até uma blanquette de veau, ficaria deliciosa em sua companhia… R$ 153,84

Entre os tintos duas deliciosas surpresas da Toscana, dos Piccini!!! Como gosto dos Piccini!!! Eles estavam com duas novidades, uma delas, o Mario Primo é um charme, em garrafa mais baixinha e mais gordinha mas com os mesmos 750 ml.

O vinho tem um assemblage de 80% de Sangiovese, 10% de Canaiolo e Merlot e ainda 10% de Malvasia e Trebbiano, como se faziam os antigos Chianti no passado. Tem uma maceração com as cascas por tres dias a 30º e depois permanece em tanque de cimento por 4 a 5 meses.Um vinho gostoso e frutado que vai bem com antipasti diversos, os salames, prosciutos linguiças e o pão italiano da São Domingos…  Um pizza requentada no dia seguinte então?… Madonna Mia di Sapri!!! Custa R$ 97,00 e a garrafa é um charme à parte.

 

O outro é o Buon Governo IGT 2013 que resgata uma técnica chamada “Governo al Uso Toscano” que consiste numa espécie de “Ripasso” como no Veneto, com a adicnao de algumas uvas passificadas o que confere ao vinho um toque mais denso e profundo e muito gastronômico,. eu adorei o vinho que custa R$ 105,00 e que gostaria de ter um Bag-in-Box dele na minha cozinha…

 

Ao lado deles estava um grande conhecido e vinho especial, do meu querido Uruguay, do meu querido Gabriel Pisano, da Viña Progresso, das castas Tannat (60%) e Syrah (40%), o vinho praticamente implora por uma carne sangrando… O vinho tem fermentação de 20 dias a 22º e fica por 3 a 4 meses em barricas usadas de carvalho francês e americano.Um espetáculo de vinho, que bem mostra a raça daquele país. Gostaria de ter um belo cabrito assado com batatas para acompanhar esse Viña Progresso que custa R$ 107,56.

Tinha ainda um queridinho meu, outro dos vinhos que valem a ida até a Vinci, falo do Porta dos Cavaleiros Reserva 2012, das Caves São João lá do Dão, vinhos que têm um potencial de evolução sensacional. Aliás consulte sempre a Vinci, pois eles costumam receber garrafas magnum deste fantástico produtor, com bons anos de garrafa. Este 100% Touriga Nacional, eles estão recomendando com uma bacalhoada a portuguesa e eu concordo plenamente. Eu sou da turma do Bacalhau com Vinho Tinto, ou novo sem madeira, ou evoluído como este Porta dos Cavaleiros ou ainda um Vinhão…

Comments

comments