Acontece

Villaggio Grando

Tive o prazer hoje de almoçar a convite da Villaggio Grando, no simpático Canaille, que tem ótima carta de vinhos, com bons destaques a orgânicos e biodinâmicos, comida muito gostosa e um serviço despojado e simpático. Recomendo.

A Villaggio Grando é certamente uma das mais lindas vinícolas brasileiras e com um terroir escepcional, que tem a obstinação de Mauricio Grando e se filho Guilherme Grando, em fazer grandes vinhos. Já estão fazendo inclusive.

No vídeo abaixo você pode ver Guilherme Grando contando da origem da vinícola da família e apresentando o renomado enólogo português António Saramago, consultor da Villaggio Grando.

O renomado enólogo português António Saramago falou de seu trabalho, lembrou seu professor Émile Peynaud que dizia que para fazer um bom vinho é preciso fazer bem feito, mas fazer bem feito dá muito trabalho…   gravei algo também…

Eles apresentaram diversos vinhos, mas meu destaque ficou por conta de dois: O Pinot Noir 2014, excepcional, feito com as próprias leveduras, que aliás Saramago insistiu em se fazer assim com todos os vinhos, o que foi música aos meus ouvidos, e também com boa parte dos engaços, estagiou por 18 meses em barricas de carvalho de Vosges, (importante dica do Saramago, que afirmou que não se deve usar em Pinot Noir, nem Allier ou Taransaud que passam por cima do vinho. Gostei), sendo 30% de segundo uso.

O vinho tem classe, ótima acidez, vai ficar ainda muito melhor com o tempo e vai custar R$ 180,00 a partir da semana que vem no site da Villaggio Grando.

O outro destaque foi para o delicioso Sauvignon Blanc sem madeira e com as próprias leveduras. Um vinho classudo, fresco, com personalidade e tipicidade, longo, sem excessos, delicioso mesmo. Foto abaixo que deverá chegar ao mercado na faixa dos R$ 70,00.

Não quero ser injusto com o espetacular Além Mar da primeira safra, 2009 que estava soberbo, mas era vinho que já conhecia e que você pode comprar por R$ 85,00 no site deles e é produzido com as castas: cabernet franc, malbec e merlot que estava espetacular, e muito menos com o lançamento do vinho de sobremesa o Marilla (nome da irmã de Guilherme) produzido com Gros Manseng e Petit  Manseng, que concordei com a opinião do meu Amigo don Jerez, é o melhor vinho de sobremesa brasileiro atualmente. Espetacular, mas meus destaques ficam com os acima mesmo.

Não poderia também deixar de ressaltar o primeiro vinho que experimentei da Villaggio Grando, anos atrás, que veio pelas mãos de meu Amigo Segio Inglez de Souza e que acabou ganhando uma das provas da Confraria dos Sommeliers sobre vinhos brasileiros, que é o Innominabile, um vinho que lembra a hiustória do Caballo Loco, ao misturar safras. Veja o próprio Guilherme contando do vinho.

 

Considero a Villaggio Grando uma das belas e gratas surpresas do vinho brasileiro e uma belíssima representante dos vinhos de altitude de Santa Catarina, lugar que merece mais atenção dos brasileiros com seu frescor natural e qualidade excepcionais. Grazie pelo convite amigos. Saúde!!

 

 

Comments

comments