Acontece

O “chatododidú” e os estoques de vinho.

A matéria de Ivanete Marzzaro do Jornal Pioneiro, tem dado o que falar. O Zanini postou no facebook e fez sua crítica, especialmente ao Ibravin com suas campanhas publicitárias que não têm rendido resultado prático. Aliás o Zanini é dos raríssimos casos de produtor de vinho que tem opinião e não se envergonha dela, pois a maioria se cala. Minha opinião e crítica não recai sobre a campanha do Ibravin que até apoio na busca de aumentar a base de consumidores tentando tirar o peso da sofisticação que existe na cabeça do não consumidor jovem hoje. É lento isso.

Mas, em respeito a minha maneira de ser, pé-franco e biodinâmico, minha crítica é muito mais forte e preciso dizer que não acredito essa ladainha eu ouço desde sempre. Não acredito pelo simples fato de que o Ibravin vive de impostos, os grandes produtores recolhem mais impostos, por tanto contribuem mais para a manutenção do Ibravin do que os pequenos e por essa razão se acham donos do Ibravin.

Se a notícia fosse o problema dos pequenos e seu abandono, a história seria outra, mas isso não existe como sabemos. Assim esses grandes produtores, desde que os conheço, reclamam, reclamam, choramingam para tentar comover o governo ganancioso e no final todos crescem, todos. Basta entrar nos sites deles e ver o histórico. Então está tudo certo. É assim. 

Se fosse diferente e se o que estou dizendo é mentira, por que o Vinho Artesanal continua abandonado? Por que o Ibravin acha que está certa a Lei do Vinho Colonial que acorrenta o pequeno produtor de uva como fornecedor da grande indústria impedindo-o de produzir seu vinho? Por que os dez maiores produtores não quebraram nesse tempo todo e ao contrário, cresceram?

Desculpem o “chatododidu” que está rabujento e não tem a menor paciência mais para falsidades. Deu pra ti como dizem os gaúchos esse nhem nhem nhem. Por favor.

Enquanto isso sérios e competentes produtores, como este meu bravo Amigo Zanini vivem ralando para conseguir viver como um pequeno ou médio produtor.

A solução para mim é muito simples. Embalem todo esse vinho em Bag-in-Box de 3 litros a R$ 49,90, Abaixo de 50 Paus e inundem o mercado com eles. Façam degustações do vinho nos pontos de venda. Vendam para os Clubes e sites de internet que inundam o mercado com vinhos importados de rótulos lindos e conteúdo sofrível. Os compradores estão lá… Já cansei de divulgar que Abaixo de 50 Paus, nosso vinho dá um pau no que está aí vindo de fora, salvo raríssimas exceções.

Promovam degustações às cegas desses vinhos com os de R$ 22,90 dos sites, chamem a imprensa e consumidores dos sites. Não é difícil isso. Tem que trabalhar. Mas querem apostar?  Não se fará nada disso. Pois está tudo muito bem. Todos estão felizes e ganhando dinheiro e procurarão com isso mais uma vez tentar convencer o governo a comprar seus estoques para destilar e dizer que o problema do nosso vinho é o Vinho Importado.

São míopes e não têm visão nem de classe e muito menos de mercado.

Comments

comments