Acontece

O caso Zenker ainda parado.

Fico sabendo que o caso Zenker que já tem um ano e meio e sem solução, sem um pronunciamento se quer do Ibravin, sem sabermos até hoje quem foram os covardes denunciantes, continua parado.
 
O processo do Zenker contra o Mapa, que seria julgado mês passado no dia 13 no TRF4 em Porto Alegre foi retirado da pauta, sem maiores explicações, um dia antes de ser julgado.
 
Um detalhe, seria a primeira vez que seu advogado iria poder fazer uma defesa verbal, já que essa defesa foi cerceada pela justiça federal em Bento! Se é bom ou não eu não sei. O que sei é que os vinhos de um micro produtor de 7 mil garrafas estão lá sem poder ser vendidos. Muito justo isso não?
 
Outra, que fico sabendo, alguns pequenos produtores foram convidados a se reunir no Ibravin e foram seduzidos a retirarem o termo “Vinho Natural” de seus produtos e em troca usar o nome de uma Associção e em troca o Ibravin daria apoio a causa deles… HAHAHAHAHAHAHAHAHAAAAAA estou com câibras de gargalhar aqui. Não pode haver algo mais ridículo, mais pequeno, mais ignorante. E justo quando a Presidente da OIV é uma brasileira heim… 
 
Senhores, por favor. Se querem ajudar o vinho artesanal, seja ele natural ou não, biodinâmico ou não, orgânico ou não, basta trabalhar pelo seguinte texto que poderia ser simplesmente editado como Instrução Normativa: Vou escrever novamente heim… vocês copiem aí e vão trabalhar com sinceridade por favor:
 
Produtor Artesanal de Vinho é aquele que produz até 20 mil litros de vinho/ano, com uvas próprias ou compradas de terceiros. Nessa categoria o Produtor Artesanal de Vinho se obriga a providenciar análise química de seu vinho antes de colocá-lo no mercado, atestando sua sanidade para o consumo humano. Fica o Produtor Artesanal de Vinho obrigado a recolher um Imposto Único de 6% do valor de venda. A venda de seus vinhos ficam liberadas para CNPJ ou para CPF. Esta medida entra em vigor na data de sua publicação.

Comments

comments