Acontece

Governador João Doria, uma sugestão para o Vinho.

 

Caro sr. Governador João Doria Jr., gostaria de lhe dar uma sugestão que certamente impactará muito positivamente sua gestão. Falo do ICMS do Vinho.

Não sei se é de seu conhecimento, mas o Estado de São Paulo é responsável pelo consumo de mais de 50% de todo o Vinho comercializado no Brasil, que beira os 170 milhões de garrafas anuais. Esse volume poderia facilmente ser dez vezes o que é.

Como tudo em nosso País, este Setor também é super onerado, com tributos sobre tributos e com um emaranhado de burocracia inimaginável.

Um dos maiores impedimentos para o crescimento desse volume de venda sr. Governador é certamente o ICMS, hoje de 25% que é aplicado ao final de toda a cadeia de tributos e custos do produto.

Para piorar a situação, o Setor do Vinho é onerado com a ST, que além de encarecer o produto, exige um cash-flow que muitas vezes não está disponível, além de impedir qualquer movimento promocional de desconto por parte do varejo, uma vez que ele já foi onerado com o ICMS antes de efetivar sua venda!… Uma relação bastante injusta o sr. há de convir.

A minha sugestão vem no sentido de dar uma prova de excelente e inteligente gestão, reduzindo drasticamente o ICMS do Vinho, para 5%.

O Setor, através de suas Associações seria mobilizado para repassar esse ganho para o produto final, além de financiar uma campanha publicitária de consumo responsável do Vinho, 1 Taça por Refeição, que é a recomendação médica, apoiada em mais de 2 mil estudos científicos.

Não tenho dúvidas de que há espaço para que o vinho venda dez vezes mais do que vende hoje, basta caber na renda de um consumo cotidiano. Isso daria ao Estado uma arrecadação maior do que hoje e geraria mais empregos, mais serviços, mais consumo.

Aliás o saudoso Governador Mario Covas experimentou uma situação semelhante com os Restaurantes em sua gestão, que aumentou a arrecadação diminuindo o ICMS dos Restaurantes, e baixou por duas vezes! Basta falar com o Percival Maricato da ABRASEL.

Como ex-publicitários que somos, bem sabemos da força que é a Comunicação na criação de hábitos através da informação. Foi o que aconteceu no mercado americano de Vinho, com o Parodoxo Francês.

O mercado americano de Vinho hoje é o maior do Mundo por conta da ampla divulgação deste case, quando o programa de TV Sixty Minutes, da rede CBS entrevistou o pesquisador franco-canadense Serge Renaud, especialista em estudos sobre os determinantes nutricionais da trombose. Mostrando que os franceses, têm um espantoso contraste entre o alto consumo de gorduras saturadas e a baixa incidência de doenças cardiovasculares dos franceses. A França possui o segundo menor índice de mortalidade cardiovascular do mundo, atrás apenas do Japão. A repercussão foi grande a ponto de Renaud ser reconhecido como o “pai do paradoxo francês”, por considerar fatores ambientais, o consumo de vinho, por exemplo, como fatores protetores de riscos coronários. Hoje os Estados Unidos é o maior consumidor de vinho do Mundo.

Aqui pode acontecer o mesmo, mas o Setor precisa de desoneração e desburocratização. Que tal o sr. dar o exemplo e mostrar do que o Estado de São Paulo é capaz?

Comments

comments