Acontece

Essa abobrinha merece um post…

Hoje foi um dia especial, uma agenda complicada com exames finais da Nazira que antecedem suas sessões de radioterapia. Voltamos para casa eram já quatro da tarde e sem almoço.

Lembrei que tinha duas abobrinhas da feirinha orgânica de domingo na Granja e um pacote de spaghetti De Cecco… pronto.

Receita:

  • Coloque a água com um pouco de sal para ferver.
  • Coloque a chapa anti-aderente para esquentar.
  • Fatie as abobrinhas em fatias de mais ou menos 0,4 cms. e coloque na chapa.
  • Polvilhe sal grosso moído na hora, pimenta do reino branca moída na hora e um pouco do tempero siciliano. Este foi o Ramatis que trouxe, mas acredito é uma mistura de: alho, cebola, pimentas, pimentão, diversos temperos verdes como manjericão, oregano, salsinha, etc., tudo desidratado e carregado na pimenta, afinal é o tempero do “Il Padrino…””
  • Deixe tostar, se quiser ponha um filete de azeite.
  • Faça isso apenas para duas pessoas, caso contrário será desastroso.
  • Assim que as abobrinhas forem ficando tostadas, você coloca no prato fundo e deixe lá esperando a pasta.
  • Isso levará dumas tres etapas de tosatado. Coma algumas enquanto degusta seu vinho que deve ser aberto antes de qualquer outra coisa…
  • Polvilhe no prato um pouco de azeite e de parmeggiano ralado.
  • Co,locque a pasta e um pouco mais de azeite e parmiggiano e o tempero Il Padrino. Pronto. Caminho garantido ao Paradiso…, claro, se a companhia merecer isso.

Lembrei-me de que a vida acaba um pouco todo dia e que nada vale mais que uma vontade satisfeita na hora… isso para justificar que abri a garrafa do Clos de La Coulée de Serrant que a Lis me trouxe de presente anos atrás e que estava tranquila repousando na minha adega, enquanto alucinados discutem política e simpatias radicais…

Não tive dúvida, abri. Afinal havia trocado e-maisl com meu Amigo Joly a respeito da lamentável perda do Bellotti… Foi um bom momento para brindar às pessoas dignas do mundo do Vinho. Até gravei “O vinho de Hoje”com esse vinho.

Depois, embriagado com classe e feliz fiz a conta: Abobrinha, R$ 5,00  Pasta R$ 8,50 e fiquei pensando, onde poderia comer um prato desse por esse preço?… Por isso digo sempre, a melhor cantina da cidade é a minha casa. Claro que não coloquei o gás, o azeite, o trabalho, o investimento nas louças, nos talheres de prata, nas taças Riedel, etc., etc., mas… não conheço quem faça um prato desses, assim de última hora. Sorry, sou leonino.

O vinho, bem… agora complicou. Primeiro foi presente, ou seja, não custou nada, mas no Brasil você pode encontrar essa preciosidade que um dia na vida todo mundo deveria ter o direito de provar uma garrafa em dois importadores: Metamorfosi  e  Mistral.

 

Comments

comments