50 paus

Não há nada de errado com Vinho barato.

 

Recebo e-mails de leitores querendo saber como um produtor oferece vinhos baratos e simples e também vinhos top. Esclareço. Não há nada de errado com vinho barato.

Existem diversos tipos de produtores de vinho. Há os apaixonados e teimosos (adoro estes), que fazem o vinho que acham do jeito que acham e como ele gosta. Estes precisam ter muita sorte para serem um dia reconhecidos e famosos e então agregar valor ao seu rótulo.

Existem no outro extremo produtores de volume. Estes estão interessados em ganhar pouco em cada garrafa mas vender muito. Fazem volume e também precisam agregar valor ao rótulo para se saírem bem.

Existem produtores que gostam de vinho fazem bons vinhos, mas seguem o caminho dos modismos, não estão interessados em mostrar o que sabem ou o que acham. Querem fazer dinheiro.

E existem produtores que mesmo fazendo bem feito o vinho que acham que gostam e que acreditam, gostam também de ter um vinho simples de volume para lhes garantir o dia-a-dia enquanto não acontece a fama daquele seu outro vinho que ele gosta, acredita e capricha.

Muitos deles, grandes ou pequenos costumam invariavelmente comprar uvas de terceiros para fazer esses vinhos de volume. É mais barato, pois em toda parte paga-se mal o agricultor.

O produtor, principalmente os grandes, reservam as uvas de seus próprios vinhedos para seus vinhos de maior qualidade. São vinhedos bem cuidados, com poda verde, com seleção de cachos, etc. Esses vinhedos costumam produzir 4, 5, 6 toneladas por hectare, alguns 8 mas nunca dizem…

Já nos vinhedos dos vinhos de volume, não há a poda verde, não há seleção de cachos e produz-se 12, 14 16 toneladas de uva por hectare.

Mas isso não quer dizer que o vinho não seja bom. Bom é algo pessoal e subjetivo. Eu por exemplo costumo gostar mais dos extremos dos vinhos dos produtores. Já falei aqui sobre isso. Pois nos vinhos mais simples é que se conhece um bom produtor. Um vinho simples bom, sem exageros e sem maquiagens excessivas, costuma me agradar mais. Os vinhos intermediários, quase sempre estão tentando ser o que não são, algo mais voltado para o modismo do momento e os top, esses são os vinhos dos melhores vinhedos, com melhor qualidade de fruta, com maior cuidado na seleção no acompanhamento da fermentação e do afinamento, pecam apenas, muitas vezes pelo excesso de madeira. Secondo me, claro…

Eu costumo recomendar bastante vinho abaixo de 50 Paus, quase todos eles vinhos de volume e que me agradam, não vejo problema algum nisso. Claro que se pudesse só beberia biodinâmicos e biodinâmicos naturais, mas essa não é a minha realidade financeira lamentavelmente.

Considero que se pode ter bons e ótimos momentos de prazer com vinhos baratos sim senhor. Saúde!

Comments

comments