Artigos

Louis-Antoine Luyt

Hoje os Pipeños são “in” e tem até gente bacana curtindo os Pipeños de uva Pais. Pipeño vem de sua origem de vinhos de Pipas da madeira local chamada Rauli e as pessoas iam comprar no produtor levando seus garrafões. Mas esse movimento deve muito a um cara que poucos conhecem e que estará aqui em agosto na Naturebas da Lis Cereja e Ramatis Russo. Falo e Louis Antoine Luyt.

Este cara foi aprender de vinhos com ninguém menos que Marcel Lapierre que o queria como um filho. O Lapierre é o cara que, ouvindo as dicas de Jules Chauvet, colocou o vinho Natural no Mapa Mundi do vinho, com seu Morgon sem S02 que figura nas melhores cartas de vinho em todo o Mundo desde a década de 70.

O Louis Antoine já tinha estado no Chile em 1998 mas trabalhando em restaurante, depois de ir aprender de vinhos com o Lapierre, convenceu-se de que o Chile era o lugar para se instalar e em 2006 junto com seu pimo Matthieu de Genevraye, criaram uma vinícola que fez muito sucesso com o “Clos Ouvert”, vinho que vinha para o Brasil pela World Wine trazido pelo querido Jacques Trefois, o pioneiro em vinhos naturais aqui no Brasil, diga-se.

O Clos Ouvert tinha em seu corte a uva Pais, (40% Carignan, 30% Pais, 20% Cinsault and 10% Cabernet Sauvignon), a mais antiga vitis-vinífera que se instalou na América do Sul, trazida pelos missionários espanhóis (ela inclusive é conhecida na California como Mission), para se fazer vinho para a missa. Sempre os padres… Essa casta que também é conhecida por Criolla Chica na Argentina e descobriu-se por estudos de DNA que ela é idêntica a Listán Prieto espanhola. O fato é que todos acreditam que elas vieram mesmo das Ilhas Canárias, onde é muito comum.

Esse Clos Ouvert que a Lis e o Ramatis me falaram dele em 2009 quando experimentaram em Paris no Coinstot Vino, ganhou o Mundo também, até a Jancis Robinson falou dele com entusiasmo depois que o Sommelier do Hibiscus de Londres lhe serviu em taça. Infelizmente o terremoto de 2010 dizimou com o projeto.

 

 

Louis-Antonie Luyt foto de Lis Cereja

 

O Louis Antoine então partiu para um projeto solo voltado para a Pais, comprando uvas e vinhos de artesãos autênticos de Pipeños de Pais, descobriu vários deles e passou a engarrafar em esses vinhos em garrafas de 1 litro, como é o caso deste Pichuihuedque, um dos produtores artesanais que ele descobriu e que segundo o próprio Louis Antoine faz vinho melhor que ele…

Um trabalho admirável de preservação e valorização da cultura e da história viti-vinícola do Chile, valorizando esses “huasos” ( camponeses ) e preservando os métodos ancestrais.

Uma delícia de vinho fresco, simples e rústico, tem um traço de jabuticaba no nariz, muito sedutor e que harmoniza perfeitamente bem com queijos picantes, com aperitivos e com pratos do dia-a-dia. Você encontra na Enoteca Saint Vin Saint  por R$ 136,00.

Há outros maravilhosos e autênticos Pipeños como o Huaso de Sausal do Renan Cancino, o Cacique Maravilha, entre outros. Proceure por esses vinhos na Enoteca Saint Vin Saint que tem um e-commerce.

 

 

Comments

comments