Artigos

Um ano de Caso Zenker. Uma Vergonha.

 

Eduardo Zenker,

o cara que produzindo 7 mil litros de Vinho amedrontou a grande Indústria do Vinho Brasileiro

A página mais triste e vergonhosa da história do Vinho Brasileiro, está comemorando 1 ano. Comemorando na verdade estão apenas os delatores covardes e os seus idealizadores e também os omissos em relação ao caso, pois de resto ninguém está comemorando, mas lamentando.

A injustiça ao Zenker nos privou de experimentar maravilhas como: : o espumante Inusitado, o Pinoto, o Bruta Bestia, o Rovinai, Alter Ego, Suvaco de Anjo, Sui Generis, Ludico, Dissidente, Oxi, Carico, o Bianco, a série Benedito, o Alma Penada e por aí vai.

Um produtor de apenas 7 mil garrafas que incomodou os grandes do negócio, medrosos e míopes, que preferiram aniquilar o talento em lugar de aprender com ele. Uma pessoa que deveria ser preservada e apoiada, foi aniquilada. Uma vergonha. Uma tristeza. Um retrato lamentável da realidade do mundo do Vinho Brasileiro, que se preocupa em mostrar sua qualidade ao Mundo em Concursos, mas que está podre em sua essência, em seu caráter e em sua dignidade.

Um ano se passou e o que se aprendeu com isso? NADA.

  • Os produtores artesanais continuam sem apoio.
  • A legislação continua na mesma.
  • O Ibravin e a ABE continuam caladas a respeito do episódio que envolveu membros de suas entidades.
  • O silêncio e falta de apoio dos colegas do Zenker, pequenos produtores e enólogos, idem.
  • A falta de indignação da grande maioria da imprensa do Vinho, também calada.

Uma vergonha que só mostra a mediocridade de nosso setor, para dizer o mínimo.

Logo neste mês que ironicamente a Presidência do Brasil sancionou esta semana a Lei dos produtores de Alimentos Artesanais, tirando amarras absurdas de anos de erro. Mas o Vinho… ora o Vinho. Vinho não é Alimento no Brasil. Então está de fora. Parabéns Ibravin por sua articulação e habilidade.

O MAPA, incompetente ou servil ao lobby da Indústria, só faz piorar as coisas, exigindo instalações de Indústria para um Artesão, num atestado inconteste de desconhecimento do produto Vinho e desprezo pela Cultura regional. Uma tristeza enorme é o que sinto.

Se houvesse vontade mesmo e se houvesse união mesmo, era muito fácil resolver o problema dos Artesãos. Bastaria uma simples Instrução Normativa do MAPA definindo:

Produtor Artesanal de Vinho é aquele que produz até 20 mil litros de vinho/ano, com uvas próprias ou compradas de terceiros. Nessa categoria o Produtor Artesanal de Vinho se obriga a providenciar análise química de seu vinho antes de colocá-lo no mercado, atestando sua sanidade para o consumo humano. Fica o Produtor Artesanal de Vinho obrigado a recolher um Imposto Único de 6% do valor de venda. A venda de seus vinhos ficam liberadas para CNPJ ou para CPF. Esta medida entra em vigor na data de sua publicação.

Difícil não? Sabe por que é difícil, por que não querem. Se quisessem fariam. Se fossem unidos fariam, Se tivessem liderança fariam. Mas essa não é a realidade. A realidade é triste e medíocre. Viva O Brasil brasileiro. Parabéns Ibravin e ABE omissos, Parabéns enólogos e pequenos produtores omissos e egoístas, Parabéns jornalismo desinteressado. Parabéns a todos pelo aniversário de 1 ano de uma grande vergonha para o Vinho Brasileiro.

Comments

comments