Artigos

Screw Cap e Rolha

 

Por preconceito ou falta de informação, muita gente pensa que apenas vinhos baratos e ruins usam as tampas metálicas de rosca, as famosas Screw Cap. Isso não é verdade! Na Austrália, se usa essa tampa desde a década de 70 para quase todos os vinhos. Na Nova Zelândia cerca de 80% dos vinhos usam Screw Cap.

Para vinhos novos, frescos, roses, essa tampa é ideal e ainda mais barata, vedando o vinho mais que uma cortiça e preservando seus aromas. Inclusive é excelente para baldes grandes de gelo, pois não se corre o risco de a garrafa cair no balde e encher de água seu vinho…

As tampas metálicas de rosca não comprometem a qualidade do vinho. É claro, as rolhas fazem parte de um ritual do serviço do vinho, mas em termos de qualidade elas só são fundamentais para vinhos de longa guarda (acima de vinte anos).

Já as rolhas sintéticas estão sendo abandonadas pelos produtores por não apresentarem bons resultados. Existem ainda as tampas de vidro que funcionam igualmente bem, mas são caras e por isso, raras. Hoje as rolhas de aglomerado de cortiça custam bem barato e já são ótima opção aos produtores de vinho.

 

 

As rolhas de cortiça são retiradas das cascas de um carvalho de nome sobreiro. No mundo se engarrafam anualmente cerca de 14 bilhões de garrafas (2 bilhões espumantes), sendo 12 bilhões delas de cortiça e 2 bilhões de screw-cap, sintéticas ou vidro. Ao contrário do que muitos pensam, o setor de cortiça não está ameaçado, tenha certeza.

Em 2012 estive com o Bill Hardy, da gigante australiana Hardy’s. Na ocasião, alguém disse que não havia charme nenhum em abrir uma garrafa tampada com Screw Cup. Então veja o que ele fez…

Comments

comments