Acontece

Simplesmente… Vale da Capucha

Minha viagem a Portugal a convite do Simplesmente… Vinho este ano começou por Lisboa. Era uma manhã super fria e descemos, Nazira e eu no aeroporto e estava à nossa espera o jovem simpático, bem humorado, educado e muito atencioso, Manuel Marques.

Manuel é irmão do Pedro Marques. Pedro é o enólgo e Manuel é o Marketing e o Comercial. Esse sorriso sincero e franco do Manuel, reflete bem sua personalidade, sempre alegre, gosto de gente que gosta da vida. O Manuel veio fazer as vezes de seu irmão que havia ido a Londres para uma feira e nnao pode estar conôsco, afinal em primeiro lugar vender os vinhos, depois vem o resto todo… O Vale da Capucha já conseguiu seduzir nada menos que 27 mercados internacionais…

Seguimos direto para o Vale da Capucha, região de Lisboa (15 minutos de carro), onde eles exploram além de excelentes vinhos, também o eno-turismo, além de eventos, pois o lugar é lindo como vocês podem ver neste primeiro vídeo. O lugar tem uma paz e um clima atlântico que transforma o lugar em algo especial.

Antes mesmo de visitar a vinícola propriamente, fomos almoçar fartamente e no aconchego da família Marques, que nos recebeu como se recebe um grande amigo. Ah… essa amabilidade portuguesa que tanto me seduz.

Almoçamos um peixe extraordinário feito na cataplana, conhecem? Você coloca os ingredientes nela, tampa e deixa no “lume” brando… o resultado é um cozimento macio, e os sucos todos preservados. O peixe estava simplesmente divino. A Cataplana é instrumento sensacional para se cozinhar, Nazira já queria comprar uma e trazer para o Brasil… Tivemos então oportunidade de conversar, veja no vídeo alguns momentos…

Fique atento com a região de Lisboa, nomes como: Humus Rodrigo Felipe
Quinta do Mont’alto. Vinho medieval, Andre Gomes pereira
Quinta daSerradinha. Antonio Marques da Cruz/ Tiago Teles. Coz. Vinha dos Cozinheiros, Vitor Claro. Cadafais Las Vedras
Marta Soares e Casal Figueira por exemplo mostram o dinamismo e qualidade do que hoje ali se produz.

Bem, depois de esvaziar algumas garrafas… fomos conhecer então a vinícola propriamente, Nazira preferiu curtir o sol e evitar de andar, ela estava curtindo tudo aquilo e pensando e ir viver em Portugal…

 

A Capucha tem um trabalho todo voltado ao orgânico e com namoros biodinâmicos, seus vinhos são puros e sinceros e muito minerais e o Pedro tem um talento especial, abaixo alguns chifres de vaca que servem para dinamizar preparados, quando enterrados entre um equinócio e outro. Depois esses preparados são diluídos, dinamizados e borrifados nos vinhedos. Há diversas receitas e cada uma tem uma função, seja para raíz, para caule, para folhas, etc., e curiosamente a ciência não se deida a pesquisar o por desse processo resultar num potencial de 80 vezes maior do que o mesmo preparado que nnao foi enterrado nos cornos de vacas… Por que será não?… Seria por que a ciência é financiada pela indústria química?… Ora Didú deixe de ser maldoso.

 

Sempre com a atenção do Amigo Manuel, fomos até a vinícola para provarmos dos tanques e barricas, ah… como gosto disso, como é bom escrever sobre vinhos e não sobre parafusos…  Foi aí que provei uma das grandes surpresas positivas deste ano no Simplesmente… Vinho, um Syrah sem SO2. O vinho era uma explosão de alegria, parecia um garoto feliz, com roupas novas pulando de alegria indo encontrar com seus amigos na escola! Alegria, sinceridade e grande potencial de crescimento, assim estava o Syrah Natural da Capucha. Curioso que o mesmo vinho e também sem SO2 mas que estava no tanque, não tinha essa alegria toda, parecia estar de castigo, quieto num canto.  Vejam:

 

Gravei brevemente com o Pedro no jantar de encerramento do simplesmente… mas em meio a tanta algazarra e barulho, não deu para dizer muito… mas vale ver sua sinceridade e tranquilidade com aquilo que faz. Gosto disso num Vigneron.

 

Abaixo o Pedro Marques de 2017 do Simplesmente… Vinho, apenas para ele não ficar com uma participação tão pequena aqui…

 

Seguimos daí para Lisboa onde tive o prazer de mais uma vez ser tratado como irmão, ficando hospedado no apartamento do Manuel, que no dia seguinte nos deixou no aeroporto, onde encontraríamos com Demian (o Sensato), para seguirmos para o Porto. Grazie Amigos, guardarei sempre no meu coração essa amabilidade com que fui recebido pela família Marques e com seus maravilhosos vinhos. Sucesso! Saúde!!

Comments

comments