Beaujolais Nouveau. Hoje é seu dia em 190 países!

A tradição, que teve início em Lyon, na França, no século passado, hoje acontece em mais de 190 países, envolvendo uma mega operação de logística. A iniciativa já teve mais charme. Me lembro de uma viagem que fiz com Nazira para Paris na década de 80 e era um charme danado se sentar num bistrozinho qualquer e receber uma taça de bonus. “Beaujolais est arrivé!! ”  diziam os garçons…

Hoje, o vinho que é simples e festivo chega muito caro até nós aqui no Brasil e não entusiasma, Depois temos bons e baratos Gamay e mesmo Pinots no mercado que contribuem para complicar a vida dos Beaujolais Nouveau. Porém convém saber mais dele, pois vinho é cultura e nele se aprende todos os dias…

 

Algumas curiosidades sobre o Beaujolais são interessantes e talvez você não saiba:

  • A origem se deu por que os produtores do Beaujolais comercializavam muito cedo seus vinhos, desciam de barco pelo rio Saône para abastecer os bistrôs da região de Lyon. Muito vinho ia fermentando durante a viagem…
  • Em 1951, um decreto proibiu que se comercializasse os vinhos antes de 15 de dezembro. Nascia assim a iniciativa de se fazer o Beaujolais Nouveau, vinho de maceração carbônica.
  • Os maiores consumidores do Beaujolais Nouveaux são os japoneses.
  • O Beaujolais possui 10 Crus excepcionais de vinhos de guarda que surpreendem por sua elegância e longevidade (Morgon, Chénas, Saint-Amour, Moulin-à-Vent, Régnié, Chiroubles, Fleurie, Brouilly, Côte de Brouilly, Juliénas).
  • Os Beaujolais Nouveaux carregaram a imagem de vinhos muito simples, e encobriu a imagem dos bons Beaujolais que são esses crus.
  • Os maiores compradores dos Cru de Beaujolais são os canadenses.
  • Em Paris, poucas pessoas sabem que o Beaujolais não é só Beaujolais Nouveaux, ou seja, não somos só nós que desconhecemos o Beaujolais.

 

 

Se vale a minha dica, curta o Beaujolais, seja o Nouveaux que vai muito bem com saladas, sanduches, roast-beef com salada de batatas, mas principalmente os Crus de Beaujolais. E melhor ainda, vá visitar a região que é uma viagem inesquecível de vinhos ótimos, comida deliciosa e gente que parecem amigos de infância.

Quando eu estive na região a convite da Inter-Beaujolais, fui visitar a Georges Duboeuf – o homem ainda é vivo, velhinho e trabalhando – mas ele não combina com a região, pois faz o estilo marketeiro americano.

Muito engraçado, pois a moça francesa que nos acompanhava ficou um pouco sem graça achando que aquilo não representava o Beaujolais, mas eu ponderei com ela que para o turista essas coisas são boas. Eu gravei um vídeo lá que vale você ver. O cara é o Disney do Beaujolais…

 

 

Para brasileiros o nome Beaujolais logo remete aos Beaujolais Nouveau, o vinho fresco, novo e alegre que chega ao mercado exatamente na 3ª quinta feira de novembro.

É que antigamente, os produtores do Beaujolais comercializavam muito cedo seus vinhos que desciam de barco pelo rio Saône para abastecer os bistrôs da região de Lyon. Muito vinho ia fermentando durante a viagem…

Em 1951, um decreto proibiu que se comercializasse os vinhos antes de 15 de novembro. Nascia assim a iniciativa de se fazer o Beaujolais Noveau, vinho de maceração carbônica.

Mas acontece que o Beaujolais é bem mais que os Noveau, pois há os Cru de Beaujolais com vinhos inclusive de guarda. São no total 12 denominações, pois além do Beaujolais e Beaujolais-Villages, dos conhecidos Beaujolais Nouveau e Beaujolais-Villages Nouveau, há outros dez crus escolhidos por seu terroir:

Chiroubles, Fleurie, Saint-Amour, Brouilly, Côte de Brouilly, Juliénas, Régnié, Chénas, Morgon e Moulin-à-Vent.

A região que vai do Mâconnais até Lyon, ocupa 96 comunas ao longo dos Rios Ródano, Saône e Loire, e totaliza 2.800 produtores que cultivam 22 mil hectares de Gamay.

Os Beaujolais são vinhos bem adequados ao clima brasileiro, ele tem frescor, são florais, fáceis de gostar e acompanham com perfeição desde sanduiches, frios, carpaccio, batatas gratinadas, térrines, dobradinhas, escargots, roast-beef com salada de batatas, queijos de cabra, coq-au-vin, etc., vinhos perfeitos para uma taça no almoço.

 

Se você se empolgou com a região, sugiro se organizar para visitá-la durante a Bien Boire au Beaujolais.  Normalmente início de abril. Mas sugiro que você veja os links abaixo, você vai gostar certamente. Saúde! Viva o Beaujolais.

Veja estes links e saiba mais da festa:

http://www.didu.com.br/2014/04/beaujolais-i/http://www.didu.com.br/2014/04/beaujolais-ii-souvenir-de-lyon/

http://www.didu.com.br/2014/05/beaujolais-iii-bien-boire-en-beaujolais/

http://www.didu.com.br/2014/05/beaujolais-iv-monsieur-pacalet/

Beaujolais V – Huilerie Beaujolaise.

http://www.didu.com.br/2014/05/beaujolais-vi-mais-surpresas/

http://www.didu.com.br/2014/05/beaujolais-vii-le-terrasse-du-beaujolais/

http://www.didu.com.br/2014/05/beaujolais-viii-georges-duboeuf-o-walt-disney-do-beaujolais/

Beaujolais IX – Maison Trenel de Gilles Meimoun

http://www.didu.com.br/2014/06/beaujolais-x-la-cuisine-de-fred-au-beaujolais/

Tagged: , , , , , ,

Deixe um comentário