Acontece

Panorama atual do Vinho Natural

O gesto abaixo é deselegante mas muito apropriado para os delatores covardes que até agora se escondem no anonimato, aos que poderiam ter ajudado o Zenker e não ajudaram, às marionetes do Setor, aos covardes e falsos que manipulam as marionetes e ao babacas que têm medo de produtores de 5 mil litros de Vinho, aos invejosos incompetentes, aos que tremem diante do Vinho Natureba.

O momento atual evidencia a deprimente posição do Ibravin, veja os vídeo da mesa Redonda aqui, A postura do Instituto é de dono do Vinho, se imagina um Ministério do Vinho no Brasil, porém fica fazendo jogo de cena com a questão dos pequenos produtores artesanais, seja o nome que for, não atende as necessidades e está completamente fora da realidade.

Hoje há pessoas de bom nível e de altíssima competência, fazendo vinho natural no Brasil e que não compra gato por lebre. Ou o Ibravin se mexe com sinceridade e não com política barata que defende a indústria ou vai passar vergonha. Tomem nota do que estou dizendo.

Agora tem São Paulo no jogo político do Vinho.

 

 

Basta dar uma olhada nessa foto abaixo, do lançamento da Frente Parlamentar do Vinho Paulista e esta frente foi criada por sugestão do SP Vinho que vai municiar de sugestões os parlamentares, e conta com o apoio do Secretário da Agricultura do Estado e do Vice Governador.

 

Na hora que se mostrar ao Ministério da Fazenda o dinheirão que estão perdendo de arrecadação por inadequação de legislação que permita o trabalho legal dos pequenos produtores, quero ver como vai ficar.

Se sou Ministro com uma simples Instrução Normativa, resolveria tudo da noite para o dia:

Instrução Normativa do Didú:

A partir da data de hoje, entende-se como Produtor Artesanal, aquele produtor de vinho seja de uvas americanas seja de uvas vitis-vinífera, que respeita sua cultura local e suas tradições ou ainda resgate de processos ancestrais, e que tenha seu vinho analisado e aprovado para o consumo humano, até o volume de 20 mil litros.

De posse da análise de seu vinho, ele está apto a comercializa-lo para pessoas físicas ou jurídicas, mediante a emissão de Nota Fiscal do Simples Nacional, pagando 6% de seu faturamento.

Basta fazer conta, o Ibravin diz que das 1.100 vinícolas no Brasil, 90% são micro empresas ou pequenas empresas. Quantas produzem até 20 mil litros? Que volume é esse? Imagine o preço médio de R$ 10,00 por garrafa, recolhendo 6% de seu faturamento. Acho que o governo vai gostar e aí deixe o MAPA falando bobagens e inspecionando Indústria. E viva o mofo!!

 

 

 

Comments

comments