1870, um Errazuriz acessível e bom.

Eu tenho grande admiração pelo Eduardo Chadwick, homem educado, elegante, um nobre de verdade que não se perdeu na vaidade. Ele trabalha e gosta do que faz, além de ser obstinado pela qualidade e muito corajoso.

 

 

O Chile, secondo me,  deve muito a ele a super valorização de seus vinhos hoje, na minha opinião acima do razoável, com sua Cata de Berlin que andou mundo afora fazendo bonito e colocando seus Errazuriz, Viñedo Chadwick e Seña em pé de igualdade com os Premier Cru Classé de Bordeaux e com Supertoscanos. É preciso coragem para isso e ele teve. Dizia acima que considero acima do razoável a super valorização dos vinhos top Chilenos, porém eles têm mercado para esses preços, independente da opinião do Didú…

Mas falava da minha admiração ao Chadwick e por mais uma razão, sua linha 1870 é classuda, de qualidade e a bom preço. Ninguém coloca o nome de família em um vinho que não tenha qualidade, e Chadwick fez questão de fazer isso numa linha de vinhos mais simples, com um rótulo classudo que incentiva o consumidor a comprá-lo. Há o Sauvignon Blanc, Chardonnay, Cabernet Sauvignon e Carmenère. Eu fui falar com o Ciro Lilla para ele me falar desse vinho que

 

Tagged: , , , ,

Deixe um comentário