WOFA 3º Dia

Levantamos cedo e pegamos o vôo para Neuquén, pois chegando lá iríamos diretamente para Humberto Canale, qual não foi nossa surpresa que no mesmo vôo estava Guillermo Barzi que iria justamente nos receber.

Captura de Tela 2014-11-06 às 20.56.11

 

Do avião se podia perceber claramente a importância da irrigação. Sem água, sem vida… Por onde circundava o rio uma maravilha, vejam:

 

Captura de Tela 2014-11-06 às 20.56.32

 

Chegamos à Humberto Canale e já havia um delicioso churrasco nos esperando, um show. Gostei demais da elegância rústica do local. Tudo certo e tudo funcional, tudo elegante e rústico. Gravei um vídeo que dá uma pequena mostra disso e ainda explica de forma excepcional o que é a Patagônia e seu processo de irrigação:

 

 

Captura de Tela 2014-11-06 às 20.55.30

Os vinhos de Humberto Canale chegam ao Brasil pela Grand Cru e meu predileto foi o Malbec da foto abaixo, que é fresco e intenso, com personalidade bem marcada e o melhor de tudo:  Abaixo dos 50 Paus…

 

Captura de Tela 2014-11-06 às 20.58.30

 

Me intrigou e até puxei o assunto, mas percebi que não era o que pretendiam, mas com aquele vento incessante e aquelas terras secas, por que não praticar uma agricultura natural? Acho que seria bem favorável lá.

Captura de Tela 2014-11-06 às 20.58.06

 

Estes dois vinhos estavam simplesmente deliciosos, o Cabernet Franc e o Merlot Gran Reserva. E o almoço, nem é preciso dizer, basta ver no vídeo a qualidade da carne… mas ainda havia uma surpresa rara, uma Magnum do Centenium 2005, vinho produzido em comemoração aos 100 anos da bodega. Um privilégio.

Saímos de lá diretamente para uma pequena e arrumada bodega chamada Del Rio Ezorza. Eu não tinha a menor idéia de que provaria alí o que considero hoje o melhor Pinot Noir  Argentino e que foi o vinho da viagem “Secondo Me”  Trata-se do Verum

 

Captura de Tela 2014-11-06 às 21.12.23

 

O enólogo tem firmeza e é completamente natural. Não usa químicos e as leveduras são indígenas, e o melhor de tudo, sabe fazer vinho. Neste PN ele usou 20% dos engaços e o vinho ficou simplesmente um Bourgogne. Delicado mas com firmeza, muita personalidade, fino e natural, delicioso. Eu só queria beber aquilo.

Captura de Tela 2014-11-06 às 21.11.48

 

Agustín E. Lombroni, o enólogo da Del Rio Elorza é muito jovem e certamente fará seu nome no vinho, pois ele tem coração, é firme e convicto do que acha. Gravei ele explicando por que gosta das leveduras indígenas, veja:

 

 

Saímos felizes de lá e rumamos ao Hotel em Neuquén, para um check-in , banho rápido e jantar com o simpático Julio Viola da Bodega del Fin del Mundo que apresentou seus vinhos durante ótimo jantar com vinhos dele e também da NQN onde iríamos no dia seguinte!

Eu já estava o próprio ganso no Périgord com o funil na boca… Mas como resistir a um espumante dessa qualidade, o Extra Brut Del Fin Del Mundo, de Pinot Noir e Chardonnay, com um pérlage persistente, estruturado e longo e uma deliciosa cremosidade. Um show.

 

Captura de Tela 2014-11-06 às 21.29.47

 

Gravei com o Julio Viola que você pode conhecer no vídeo abaixo. elegante e educado, teve a paciência de nos entreter e nos deixar à vontade depois de um dia um tanto exagerado.

 

 

Captura de Tela 2014-11-06 às 21.30.12

 

O seu bem conhecido e premiado Cabernet Franc fez sucesso mais uma vez e acabou dormindo nos braços de seu admirador maior, Deco Rossi…

Captura de Tela 2014-11-06 às 21.38.08

Tagged: , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário